title

BLOG

Mulheres, cuidado com a região íntima no verão

Higiene-intima-femenina-natural-3-1200x800

A estação mais quente do ano exige muitos cuidados com a saúde do corpo, dentre eles uma atenção redobrada é com a vagina. Por ser uma região escondida entre as pernas, sofre com o calor e a umidade excessiva causada pelo suor. Em decorrência disso, podem ocorrer infecções por fungos e outras doenças que se proliferam além do normal.

A ginecologista-obstetra do Centro Médico Shopping Vitória Emanuele De Angeli Endringer explica que em dias de verão é comum passar o dia na praia e em piscinas com biquínis e roupas úmidas. Isso contribui para a proliferação de fungos e bactérias na região íntima, e deve ser evitado. Outro cuidado é com roupas justas e apertadas, como calças jeans.

“Também evite a depilação completa da virilha, pois os pelos contribuem para a proteção. O ideal é não fazer a depilação no mesmo dia em que for à praia ou piscina, pois pode causar lesões na pele e expor a infecções. Opte por sabonetes à base de glicerina. Os sabonetes íntimos também matam a flora normal da vagina, se for usar, utilize em pequena quantidade”, reforça a ginecologista.

As temperaturas mais elevadas aumentam a transpiração na região íntima, favorecendo, assim, o surgimento de lesões por fungos e bactérias. Torna-se muito comum o aumento de candidíase, um fungo que causa um corrimento branco leitoso e prurido, e ardor vaginal. Para manter a “famosa” cândida bem longe, a orientação da médica é evitar ficar com biquínis úmidos, utilizar roupas leves e arejadas e, assim que chegar da academia ou exercício físico, trocar de roupa.

Uma atenção mais que especial deve ser dada ao protetores íntimos e tampões vaginais. Eles são permitidos, porém, devem ser trocados pelo menos a cada três horas.
Outros cuidados simples, porém essenciais, são usar calcinhas de algodão ou dormir sem calcinha. Lingeries produzidas com tecido sintético aumentam a transpiração no local.

“E na hora de lavar, evite o uso de amaciantes e alvejantes na calcinha, prefira sabão neutro e não deixe-a secando no banheiro, por ser um ambiente úmido, que favorece a proliferação de fungos”, esclarece Emanuele.

Outra dica valiosa da ginecologista diz respeito ao uso de preservativo para a proteção de doenças sexualmente transmissíveis e infecções genitais. Além disso, ela lembra da necessidade da mulher estar lubrificada para a prática sexual. “Se você não se sente lubrificada, use lubrificantes ou hidratantes vaginais para que evite escoriações. E quando for viajar, leve consigo toalhas íntimas para que realize a higiene adequada onde quer que esteja”, completa.
Dra. Emanuele De Angeli Endringer
Ginecologista-obstetra

Matéria: https://goo.gl/8ySZDK